Bio

 

Silvia Marques de Aguiar, nasceu em Moçambique, em 1958, mas foi em Portugal, na cidade do Porto, onde, desde a infância, viveu e estudou. Licenciou-se em Gestão de Empresas e fez o Mestrado em Economia e Gestão da Inovação, (FEP- UP).

A paixão pela poesia surgiu muito cedo, mas foi na década de 80 que começou a escrever os seus próprios poemas.

 

Nasci.
Era setembro, uma manhã quente de verão
.
Assim o melhor aconteceu para mim.
Hoje estou na meia idade, mas sem idade.
Não me foi-prometida a Eternidade?
Tenho a vida nos meus poemas.
Eles são eu, até as vírgulas são minha realidade.
Há quem me pense simples, cheia de humildade,
Mas o orgulho também existe em mim.
Sou vaidosa.

Vaidosa do que sinto, não do que escrevo.
Me sinto insatisfeita, imperfeita…tímida…calada.
Um dia descobri que apaixonar-me era inevitável.
E a pessoa mais importante era a que mais pensava em mim.
Era assim …
Quando a perdi já era tarde.
Ficou tanto por dizer e tanta vontade de a abraçar.
Mas mudei. Hoje o comum já não me atrai.
Vivi mais de meio século sem tempo …
Nem para realizar os sonhos nem para dizer o que sinto.
Mas tive esta vida de presente.
E quero ser feliz,
Ainda quero ser o principal actor desta história.

Quem sou?
Eu sou divina
Faço as minhas escolhas,
Realizo os meus sonhos,
Canto a minha canção,
Danço a minha dança
E crio a minha aventura.
Quero viver minha jornada,
Sentir o sol que me ilumina,
Amar todos os lugares,
Porque, aconteça o que acontecer
Eu confio,
Eu sou grata
E tudo ficará bem

Apenas sou
Quero perceber, nem sei o quê,
O que fazer, o que pensar,
Mas hoje, sem saber porquê,
Não paro de me questionar.
Quero saber a verdade,
Mas que verdade afinal?
Se no final não há fim,
Se o fim não é um final.
Quero apenas entender,
Quem eu sou e porque sou,
Se vivo, ou se ser vivo me mantém,
Se, nesta vida o que sou,
Noutra vida o serei também.
Porque eu sou o que se vê,
Mas não sou o que eu terei,
Sou assim…sem nada mais,

Apenas sou quem sempre serei.

Deveria explicar porque escrevo poesia? Que seria de mim sem a poesia? 
Tenho dificuldade em definir a poesia porque ela expressa um estado da minha mente e da minha alma.
A poesia, além de permitir exprimir os meus sentimentos usando recursos linguísticos, é uma forma de linguagem através da qual tudo é possível; é possível transmitir um estado de alma, comum ou não, dependendo muitas vezes da imaginação de quem escreve e de quem lê.

A Poesia é a expressão de um sentimento e o poema é o sentimento expresso em palavras, palavras que tocam a alma.